Quer ser um funcionário público? Que tal virar um empreendedor público?

Nunca foram divulgados tantos editais de concursos em todo o Brasil. Para muitos é a oportunidade de concretizar o sonho de seguir essa carreira. No entanto, a visão de “funcionário”deve ser alterada.

Procura-se profissionais resilientes, com iniciativa, que possuam ampla capacidade de realização e tenham uma motivação verdadeira. Se você possui essas características, temos a vaga certa para você. Não, o objetivo não é montar uma nova startup. O local de trabalho é o serviço público.

Chegamos a um período que a máquina pública pede um contexto amplo de mudança de paradigma administrativo, passando gradativamente da administração burocrática para a administração gerencial. Trata-se de um novo olhar, que agregue outras experiências e fomente a inovação. Mas inovar no sentido de criar mais valor público, de buscar a consolidação de boas práticas e disseminá-las no âmbito da gestão governamental.

Difícil com a burocracia? Sim, de fato. Mas colocar a culpa apenas no sistema e não buscar mudanças é limitar a capacidade e o talento de milhares de profissionais que atuam no setor público ou que buscam ingressar na área. O grande agente de mudança para isso é o próprio servidor, ou melhor, o empreendedor público. Na verdade, as características tão comuns e destacadas no empreendedorismo devem fazer parte de todos os profissionais.

E essa é uma proposta e premissa que deve se permeada no setor. A de estimular outra forma de pensar o serviço público, sua cultura, consciência e o velho estigma do comodismo. Empreendedor e funcionário público são profissionais que por muito tempo pareciam não possuir a mesma língua. Mas para falar a verdade, a única diferença real deve ser apenas uma: no serviço público, o objetivo é de atender a sociedade e não o de obter lucro.

Para quem deseja trabalhar na área, outro ponto importante é abraçar as causas públicas como se elas fossem do empreendedor, pois o comprometimento servirá de motivação extra para que o profissional não meça esforços para concretizá-lo. É preciso mudarmos o estigma de quem faz concursos procura apenas a estabilidade. Ela é um ingrediente? Sim, mas não pode ser a finalidade.

Como diria Drucker, a capacidade de aceitar e enfrentar riscos torna-se imperativa para o alcance do sucesso em empreitadas que visam a geração de mudanças significativas.

Quer prestar concurso? Ótimo, mas não vire um funcionário público. Transforma-se em um empreendedor público!

Leitura recomenda: Chegou a vez do Empreendedor Público, Edição 25 da Revista Administradores

Fonte: http://www.administradores.com.br/

Deixe uma resposta

Fechar Menu