Presidente do CFA fala do compromisso assumido pela Gestão Compartilhada

Presidente do CFA fala do compromisso assumido pela Gestão Compartilhada

Na manhã desta quinta-feira, 21, o presidente do Conselho Federal de Administração (CFA), Mauro Kreuz, concedeu a sua primeira entrevista como líder da autarquia reeleito para o biênio 2021-2022. A sua recondução ao cargo ocorreu na semana passada, momento em que o plenário da casa elegeu, por unanimidade, a chapa Gestão Compartilhada para dar continuidade ao trabalho que começou a desenvolver há dois anos.

O jornalista da Rádio ADM, Rodrigo Nunes, conversa com o presidente do CFA.

A entrevista aconteceu no estúdio da Rádio ADM, no CFA, e foi conduzida pelos jornalistas Rodrigo Nunes e Paulo Melo. A dupla ficou quase uma hora sabatinando o líder da autarquia, que revelou ao público alguns projetos do Conselho, comentou temas atuais como a pandemia e a crise na saúde pública do país, além de falar sobre as expectativas para 2021.

Kreuz voltou a agradecer a confiança do plenário da autarquia e a satisfação em poder consolidar o trabalho que foi iniciado em 2019. Segundo ele, foram tempos difíceis e que, com a pandemia, o CFA foi duramente desafiado. O presidente acredita, inclusive, que os próximos anos serão igualmente difíceis. “Eu não vejo em 2021 um horizonte muito tranquilo. Vejo um horizonte ainda muito desafiador e que vai exigir da gestão compartilhada muita resiliência para poder encarar essas adversidades”, disse.

Para o ano que se inicia, o administrador adiantou que será realizada nos próximos dias uma imersão com os diretores e os membros de cada câmara e comissão do CFA. O objetivo do encontro é criar uma agenda propositiva de trabalho, que esteja focada e alinhada com a realidade.

“As restrições orçamentárias impostas nos desenha um cenário que nos exigirá muito cuidado na gestão dos recursos e, portanto, devemos priorizar o nosso core business, que é a fiscalização e registro. Não vamos desmerecer outros projetos e atividades, mas todas elas deverão estar parametrizadas com resultados concretos”, explicou.

Com este propósito, além de desafio, outras palavras de ordem farão parte da gestão liderada por Mauro: resultados e concretude. Nesse sentido, a ideia é dar continuidade aos convênios que o CFA firmou durante a pandemia. Em 2021, a equipe gestora da autarquia vai trabalhar para executar os planos previstos nessas parcerias para gerar resultados concretos.

Um dos projetos previstos para este ano é uma iniciativa da Câmara de Estudos e Projetos Estratégicos que promete criar novas conexões para os profissionais de Administração. Trata-se de uma plataforma que ainda está em fase de criação, cuja missão é oferecer cursos de aperfeiçoamento para os registrados. Atualmente, o Sistema CFA/CRAs tem cerca de meio milhão de profissionais com registro, mas este número poderia ser maior se não fosse o exercício ilegal da profissão.

Paulo Melo, do CFAPlay, entrevista Mauro Kreuz.

Para evitar essa atuação irregular, o presidente do CFA comenta que é preciso um esforço não só da fiscalização, mas também dos profissionais que são registrados e atuam dentro da legalidade. Essa consciência começa, ainda, na faculdade. “A academia tem que se comprometer com a profissão, porque se ela não vai bem, o ensino também não irá bem”, defendeu.

Administração profissional

Ainda na entrevista, Mauro teceu duras críticas ao problema da ingerência. Segundo o presidente, as empresas fecham as portas por falta de gestão qualificada. Outro problema é a formação dos futuros profissionais de Administração, que ainda não está alinhada às demandas do setor produtivo.

“Não é possível mais viver com amadorismo. Nem nas organizações públicas, tampouco nas privadas. Ambas exigem administração profissional e só quem foi devidamente capacitado para isso será capaz de exercer essa gestão”, alertou.

O cenário atual de falta de gestão, principalmente com relação a administração da crise na saúde pública no Brasil, também foi criticado pelo presidente. “Este país não usa a Administração, esse país vive acidentalmente. Quero ver um projeto estratégico de nação para que seja, de fato, conduzido de forma profissional”, disparou.

Gratidão

Durante a entrevista, o público teceu muitos comentários positivos sobre a fala do Mauro. A maioria defendeu a importância do registro para uma efetiva administração profissional. Ele agradeceu a confiança de todos, principalmente do plenário do CFA por possibilitar a continuidade do trabalho da gestão compartilhada.

“Se sou o que sou hoje, devo a Administração”, falou. Kreuz lembrou, ainda, que antes de assumir a liderança da Casa, foi diretor de Formação Profissional do CFA, momento em que conseguiu emplacar importantes projetos como o Programa de Certificação Profissional do Sistema CFA/CRAs; coordenou o trabalho da Comissão de Planejamento Estratégico no federal; e lembrou também da sua atuação como conselheiro regional no CRA-SP – hoje Mauro é conselheiro federal pelo estado de São Paulo – e da sua atuação como presidente e diretor da Associação Nacional dos Cursos de Graduação em Administração (Angrad).

Ao final, Mauro respondeu às perguntas do público e pediu ajuda de todos.

“Quero fazer um apelo: ajudem-me a melhorar a nossa profissão. Ela é nossa, é de todos nós. Vamos nos orgulhar dela, vamos melhorar. Vamos ser 1 milhão! Vamos nos irmanar e, nesses dois anos, fazer uma grande jornada pela Administração no Brasil”, clamou o presidente do CFA.

Para conferir a entrevista na íntegra, acesse o CFAPlay.

Ana Graciele Gonçalves

Assessoria de Comunicação CFA