“Nível superior é o novo piso do setor público”

“Nível superior é o novo piso do setor público”

Cada vez mais você vai ter menos vagas em concurso para quem não tem nível superior. Nível superior é o novo piso do setor público. Antes era nível médio, mas agora acabou. Hoje o arroz com feijão, o básico essencial, mesmo no setor privado,  é o nível superior completo que pode ser um tecnólogo ou um bacharel. Dependendo do caso, um técnico profissionalizante, mas é no limite. O ensino médio clássico já não vai te garantir um lugar ao sol”, afirmou o administrador Murilo Lemos. 

O conselheiro do Conselho Regional de Administração de São Paulo (CRA-SP) participou da live nesta quinta-feira que abordou o mercado de trabalho do Administrador pós Covid-19 no âmbito público. 

Com 19 anos de atuação em posições de direção e assessoramento em diversos órgãos governamentais, principalmente na área de gestão de pessoas, Murilo é mestre em Gestão e Políticas Públicas pela Fundação Getulio Vargas (FGV); especialista em Administração de RH pela Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP); além de docente e consultor em gestão pública. 

Tido como forte tendência, o People Analytics e a Dimensão da Força de Trabalho são, futuros distante no setor público brasileiro, segundo o especialista. Lemos falou, ainda, das competências mais importantes para quem vai trabalhar no ou com o setor público; os impactos da pandemia e novos modelos de contratação. 

A expectativa, afirmou Lemos, é que os concursos públicos sejam cada vez mais escassos, com menos vagas e com um aumento na concorrência. Para quem deseja ingressar na carreira de gestor ou administrador público, o especialista deu dicas de cursos e autores importantes para o campo. 

Um dos pontos altos da live foi quando Lemos abordou o artigo Humanizando a Máquina Pública: lições da pandemia para a gestão de pessoas nos governos, de sua autoria. Assista à conversa completa aqui. 

Assessoria de Comunicação CFA