Frear a desigualdade precisa ser prioridade da gestão pública

Frear a desigualdade precisa ser prioridade da gestão pública

Sem dúvidas, um dos principais problemas do país é a desigualdade. Por isso, esse foi um dos assuntos que entraram na pauta do Fórum CFA de Gestão Pública. O tema foi abordado pela diretora do Instituto Synergos no Brasil, Wanda Engel, na palestra “Gestão da desigualdade no Brasil: um problema de decisão inadiável”.

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, divulgada em abril deste ano, a desigualdade aumentou em quatro das cinco regiões do país. Para acabar com esta diferença, uma das medidas propostas pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) é triplicar o ritmo de expansão da produção nacional e dobrar a participação do investimento em infraestrutura para que a renda per capita do brasileiro dobre nos próximos 30 anos.

Até isso acontecer, Wanda sugere outras formas para acabar ou diminuir com a desigualdade no Brasil. “A educação está no cerne das mudanças que necessitamos”, afirma a educadora e ex-ministra de Assistência Social do governo Fernando Henrique Cardoso.

Ela chama atenção, ainda, para a crise atual que o país tem vivido. Desemprego, pobreza e aumento da desigualdade são gritantes nesse período. “Se por um lado aumenta a necessidade de políticas públicas, por outro lado diminuem os recursos”, diz.

Além disso, a sociedade está polarizada e aumenta o descrédito das instituições. O lado positivo é que há um aumento da consciência social e do investimento na área social. Para lidar com isso, Wanda sugere uma visão sistêmica do contexto. Ela cita a questão da juventude como exemplo. “Não da para pensar só naqueles que cometem ato infracional ou estão fora da escola. É preciso olhar o problema de forma multissetorial para elaborar ações intersetoriais”, recomenda.

Outra estratégia é ter foco. Para Wanda, é preciso focar no público para diminuir a desigualdade. “Aquelas pessoas que são mais afetadas pela desigualdade precisam de atenção diferenciada. Os programas precisam focar na família e vê-la com potencial para sair dessa situação de pobreza. Ela vai promover seu próprio processo de mudança”, comenta, citando o programa Bolsa Família que, segundo a educadora, não pode ser uma iniciativa infinita.

Com o tema “Estratégias transformadoras nas relações entre sociedade e o Estado”, o Fórum reunirá, a partir de hoje, especialistas renomados para discutir temas ligados à gestão pública. O evento vai até 8 de junho e as inscrições estão esgotadas. Acompanhe o evento na íntegra pelo CFAPlay. Todo o Fórum é transmitido, ao vivo, por meio da TV e do Facebook do CFA. Confira em www.cfaplay.org.br e www.facebook.com/cfaadm. Use a hashtag #Fogesp2018 nas redes sociais e faça parte deste evento.

Assessoria de Comunicação CFA

Fechar Menu