CRA-RN: O papel dos Administradores para o aperfeiçoamento da Administração Pública foi tema da Quarta do Conhecimento

Na noite desta quarta-feira, 19, aconteceu mais uma edição da Quarta do Conhecimento. A convidada foi a Adm. Anne Emília Carvalho, inspetora de Controle Externo do Tribunal de Contas do RN. O evento aconteceu no auditório do CRA/RN e contou com a presença de profissionais e estudantes de Administração.

A presidente do CRA/RN, Adm. Kate Maciel, abriu a noite agradecendo a presença dos participantes e enfatizou a importância do projeto Quarta do Conhecimento para a capacitação profissional.

Kate Maciel aproveitou a oportunidade para convidar a todos a participarem das comemorações pelos 50 anos da profissão. A agenda conta além do projeto Quarta do Conhecimento, com uma sessão solene na Assembleia Legislativa do Estado, onde administradores serão homenageados. A sessão irá acontecer no dia 09 de setembro, Dia do Administrador. No mesmo dia, segundo a presidente, também irá acontecer na Escola de Música da Universidade Federal do RN (UFRN) um show com a cantora potiguar, Khrystal.

“Reforço o convite para que todos participem dos eventos para que possamos, dessa forma, prestigiar nossa profissão e valorizá-la. Contamos com a presença de todos” disse.

Em seguida, a palestrante Adm. Anne Emília Carvalho iniciou a palestra dizendo que era uma honra ser convidada a participar do projeto Quarta do Conhecimento, e falou também da sua paixão em ser administradora. “Desde os 13 anos de idade que sabia que queria ser administradora. Já trabalhei em vários setores da Administração e hoje estou na Administração Pública. Sinto-me realizada com a profissão e tenho muito orgulho em dizer que sou administradora”.

A palestrante abordou o tema “O papel dos Administradores para o aperfeiçoamento da Administração Pública” e falou da importância de administradores ocuparem cargos na gestão pública. “O que vejo por aí são órgãos sendo ocupados por pessoas que não estão preparadas para desempenhar aquela atividade. Estudamos para aplicar ferramentas que contribuem na gestão. Temos um papel central, mas é preciso estar preparado”.

Apresentou a auditoria operacional realizada no Tribunal de Contas e principais técnicas utilizadas e como elas podem ser utilizadas como ferramenta de gestão. Auditoria operacional, segundo ela, é um exame independente e objetivo de economicidade, eficiência, eficácia e efetividade de organizações, programas e atividades governamentais, com a finalidade de promover o aperfeiçoamento da gestão pública.

As fases da auditoria foram apresentadas, são elas: monitoramento, seleção, planejamento, execução, relatório, comentário do gestor, apreciação e divulgação. E segundo ela, os critérios para realizar uma auditoria são a relevância, materialidade, riscos e agregação de valor.

De acordo com a palestrante, após a auditoria, o gestor do órgão tem que elaborar um plano de ação para que o Tribunal de Contas possa fazer o monitoramento. “A principal dificuldade que encontramos é a falta de planejamento dos gestores, muitos não sabem nem elaborar o plano de ação. Digo sempre que auditamos o caos e cobramos o óbvio”.

Deixe uma resposta

Fechar Menu