You are currently viewing Trabalhar em casa é sonho para uns e pesadelo para outros

Trabalhar em casa é sonho para uns e pesadelo para outros

O presidente do Conselho Federal de Administração (CFA), Mauro Kreuz, concedeu entrevista para o portal Inset sobre os malefícios que o home office trouxe para muitos profissionais. Na oportunidade, ele foi direto ao assunto: “Ninguém estava preparado para ter um escritório ou uma escola dentro de casa”.

Segundo ele, a casa não é lugar de se trabalhar. “O lar é um local para descansar, curtir amigos e família e, de repente, tornou-se um ambiente múltiplo e as pessoas começaram a acumular funções. Ninguém estava preparado para ter um escritório ou uma escola dentro de casa. Isso não é normal! A casa não foi feita para abrigar tantas ocupações”, diz. 

Mauro lembrou, ainda, que estudos sociológicos revelam que as pessoas precisam das relações sociais e ressaltou, também, os males que o mundo digital traz para as crianças. “Quando expostas em demasia a telas, elas ficam mais propensas a desenvolverem distúrbios alimentares, déficits de atenção e outros problemas”, explica o administrador para o site Inset.

Ele destaca o papel que as tecnologias desempenham nessa nova modalidade de trabalho, principalmente em meio a pandemia. Contudo, Mauro questiona: “É possível manter a mente sã nesse cenário?”.

Sobre os efeitos que o home office trouxe para a saúde mental dos trabalhadores, o presidente do CFA falou para o Inset que os empregadores têm responsabilidade sob a manutenção da saúde mental de seus funcionários. “As empresas precisam ser sensíveis quanto a isso e promover mecanismos para que estes colaboradores, uma vez em home office, não sejam tão afetados psicologicamente. De que forma? Estabelecendo novas metas, flexibilizando os horários de trabalho e melhorando a comunicação”. 

Outro ponto abordado por Kreuz é a criação de comitês para o acompanhamento da saúde mental dos funcionários. Ele defende que, ao menor sinal de que algo pode não estar indo bem, é preciso que haja acolhimento e disponibilidade, enxergando cada colaborador não como uma máquina, mas como um ser humano. 

A reportagem, assinada por Izabella Souza, também ouviu outros especialistas e conversou com profissionais que estão em home office ou em um sistema híbrido de trabalho. Quer conferir a matéria completa? Acesse https://www.inset.com.br/carreira/home-office-nao-e-para-todos-dizem-especialistas.

Ana Graciele Gonçalves

Assessoria de Comunicação CFA