You are currently viewing Senado enaltece olhar para o futuro característico dos profissionais de Administração

Senado enaltece olhar para o futuro característico dos profissionais de Administração

Em Sessão Solene semipresencial realizada na tarde da segunda-feira (17/10), o Senado Federal dedicou homenagens pelos 57 anos de regulamentação da profissão de Administração. A celebração em Plenário teve o comando do senador pelo Distrito Federal Izalci Lucas, que tem pós-graduação em Administração Financeira. Após a apresentação de vídeo institucional, Izalci relembrou a evolução legal que culminou na Lei 4.769 e defendeu a atualização de leis relacionadas à atividade, que requer a atualização constante junto ao mundo globalizado, como lembrou o senador.

“Ao profissional da área exige-se, para além do conhecimento dos princípios, das teorias, dos métodos dos instrumentos e das ferramentas da Administração, o domínio das habilidades relacionais.”

A história da Administração foi o elemento central do conto apresentado por Nyedja Gennari, especialista em contação de história. Uma surpresa que reforçou esse reconhecimento e a necessidade de um profissional que está em constante evolução.

Também estavam presentes a senadora Maria das Vitórias, o senador Wellington Fagundes e o senador Guaracy Silveira. O parlamentar tocantinense ponderou que, embora o reconhecimento seja um fato recente, há séculos a Administração se faz presente. Do império grego de Alexandre, o grande, à rainha Victória, da Inglaterra, chegando ao patrono Belmiro Siqueira. Empenho e sabedoria voltados ao desenvolvimento, como destacou o senador.

“Temos que pensar em construir um Brasil melhor. Um Brasil pleno de realizações. E os senhores podem fazer isso.”

Já o matogrossense Welington Fagundes destacou o fator tecnológico. Segundo o senador, há um apagão de mão de obra no país e, por isso, a capacitação de qualidade deve ser preocupação central e constante. Também na Seara da Administração, que tem o compromisso de atuar nos rumos de empresas do agronegócio à indústria.

Presença na sociedade

Presidente do CRA-GO, o Adm Samuel Albernaz ressaltou a capacidade de antever cenários e soluções que faz do profissional de administração presença imprescindível para o sucesso de qualquer empresa, pública ou privada. “É preciso conhecimento técnico para uma gestão realmente efetiva e eficaz”, ponderou o Administrador. 

Ao lado do presidente do CRA-DF, Adm. Jairo Brandizzi, a Admª Jociara Márcia Silva Corrêa, que é membro da Câmara de Comunicação e Marketing do CFA, reafirmou a responsabilidade assumida dia a dia pelos profissionais no comando de instituições de diversas áreas. Na esfera feminina, Jociara enfatizou que apesar de mais da metade da população ser composta por mulheres, ainda falta representatividade nas Casas Legislativa e nos Conselhos Federal e Regionais de Administração

Já o diretor da Câmara de Relações Internacionais e Eventos do CFA, Adm. Gilmar Camargo de Almeida, ressaltou o conhecimento, a estratégia e a formação técnica para elaboração de projetos como elementos estruturantes da  Ciência da Administração. Gilmar relembrou a implantação da Lei 4.769 Brasil afora. Um processo que perdura na busca constante por conhecimento, com foco em “implantar a revolução tecnológica, da globalização”. Ideal científico compartilhado pelo diretor da Câmara de Fiscalização e Registro do CFA, Adm. Carlos Alberto Ferreira Júnior.

Em discurso, a conselheira federal Admª Lia Araújo, que também é membro da CRIE, falou sobre o desafio para implantar as Novas Diretrizes Curriculares Nacionais e deu um recado: “Administradores gostam de desafios”.

Reconhecer para avançar

Por fim, o vice-presidente do Conselho Federal de Administração, Adm. Rogério Ramos de Souza falou da Tribuna sobre esse trabalho que ainda precisa ser mais conhecido por empresários e membros dos Poderes Legislativo e Executivo. Avançar, para transformar o país, segundo Rogério.

“Quando a gente quebrar paradigmas e reconhecer as profissões que se preparam no dia a dia, para estar nos postos de trabalho, tanto no setor público, setor privado, terceiro setor, para que essas pessoas possam ocupar, com a sua inteligência, com esse bem intangível, e transformar a nossa sociedade.”

O anfitrião concordou: “a gente não tem projeto de país. É preciso rever isso”, disse Izalci ao depositar essa esperança no empenho dos profissionais de Administração.

Patrícia Portales
Assessoria de Comunicação do CFA.