Registro de nível médio zela por área cativa da profissão

Registro de nível médio zela por área cativa da profissão

A Resolução Normativa nº 511 completou um ano de vigência, no último mês de junho. A medida torna possível o registro de profissionais de nível técnico (médio) no Sistema Conselhos Federal e Regionais de Administração (CFA/CRAs). Por meio da norma, a autarquia pode amplificar a fiscalização do exercício da profissão, corroborando com a excelência das ações desenvolvidas por seus agentes.

O presidente do CFA, Wagner Siqueira, acredita que a medida é assertiva e traz mais segurança às atividades da área. “Agora vai do nível médio até mestre e doutores. Todo campo profissional da Administração passa a ser abrigado e supervisionado pelo Sistema”, explica.

Para o líder da autarquia, a aprovação do registro trouxe mais fiscalização e ética. “As organizações justificavam, em sua defesa, que o exercício de uma determinada função – apesar do exercitante ser de nível superior – é de nível médio. Como nós não registrávamos o nível médio, a fiscalização não podia ser feita. Agora podemos saber se a empresa ou instituição está fazendo o exercício da atividade profissional no arrepio da lei”, conclui Wagner.

Recentemente o Conselho Regional de Administração do Rio de Janeiro (CRA-RJ) entregou as primeiras carteiras de Identidade Profissional para técnicos registrados no Conselho.

A proposta para registrar técnicos em nível médio era antiga. As primeiras tentativas de aprovar a medida aconteceram há 52 anos, pelo patrono da Administração, Belmiro Siqueira.

Para se registrar, o interessado deve entrar em contato com o Conselho Regional de Administração do estado em que reside. Os endereços e telefones dos CRAs estão disponíveis no site cfa.org.br.

Assessoria de Comunicação CFA

Fechar Menu