Na crise do coronavírus, a palavra chave é colaboração

Na crise do coronavírus, a palavra chave é colaboração

Durante live, Hélio Meirim falou sobre a importância do setor logístico e o que os empresários do setor podem  fazer para superar os desafios impostos pela pandemia da Covid-19

A sequência das lives “Gestão dos Empreendimentos em Tempos de Crise” que o Conselho Federal de Administração (CFA) promove desde o início desta semana teve, nesta quinta-feira, 2, a participação do administrador Hélio Meirim. No evento, cujo objetivo é ajudar os micro e pequenos empreendedores a superar as adversidades que o novo coronavírus trouxe para o mundo dos negócios, ele falou sobre logística.

Para Meirim, o mundo não será mais o mesmo após essa crise causada pela pandemia da Covid-19. Segundo ele, a logística assume um papel essencial nesse cenário. “Precisamos manter os serviços essenciais como hospitais e supermercados, por exemplo. E quem fornece insumos para esses locais? Há toda uma rede envolvida para garantir o abastecimento nesses locais”, disse.

Durante a pandemia e o isolamento social adotado para mitigar a disseminação da Covid-19, o administrador ressalta a importância da preservação da vida. Nesse período, muitos estabelecimentos serão fechados e é preciso tranquilidade. “O governo já começou a adotar medidas para minimizar os impactos econômicos. No setor de logística, haverá uma queda de demanda em alguns segmentos, mas haverá o aumento em outros. É preciso que o gestor readeque suas operações”, sugeriu Meirim.

Ele citou alguns setores que estão sentindo mais os efeitos da crise. As floriculturas estão sofrendo para se adaptar; já a área da educação conseguiu se mover com bastante agilidade ao migrar as aulas presenciais para o ensino a distância. “Tenho feito, em média, cinco lives por dia. Antigamente, era uma coisa de outro mundo fazer uma videoconferência. Hoje, qualquer criança se conecta com coleguinhas e professores”, comentou.

Mudar é preciso

Quem tem uma pequena transportadora, Meirim sugeriu analisar o segmento em que atua para se readequar. Em alguns casos, para manter as atividades será preciso realizar entregas em vários horários, mudar rotas, buscar atender setores essenciais, entre outros.

Em alta

Outro ponto abordado pelo administrador é setores que podem crescer com a crise. Ele citou o aumento do home office que, por conta da quarentena, conseguiu quebrar o paradigma de que não funcionava. “As pessoas achavam que trabalhar em casa era ficar vendo “Sessão da Tarde”, e não é. Estamos conseguindo mostrar que trabalhar em casa é produtivo e, principalmente, econômico para as empresas”, explicou.

A crise vai, ainda, impulsionar o e-commerce e as entregas agendadas. O setor de tecnologia também será beneficiado, pois com o aumento do home office, as pessoas vão querer equipamentos mais sofisticados como câmera, luz ou um celular mais moderno para fazer suas atividades.

Aplausos

Por fim, Meirim comentou que as pessoas que atuam na área da logística merecem muitos aplausos. “Essa galera está fazendo a coisa acontecer”, elogiou, ressaltando a importância do profissional de administração em meio a crise.

“O administrador é um profissional agraciado, pois é uma profissão generalista e acabamos entendendo de tudo um pouco. Aproveite essa quarentena, contudo, para estudar. Nossa missão é continuar batalhando, buscar conhecimento e, acima de tudo, olhar para as pessoas. A palavra chave, nesse momento, é colaboração. Se cada um colaborar, vamos superar tudo isso de maneira melhor”, disse.

Quem perdeu a live ou quiser rever o conteúdo, ela fica disponível 24h no Instagram do CFA (@cfaadm).

Anote aí

A série de lives “Gestão dos Empreendimentos em Tempos de Crise” termina amanhã, 3. O evento será encerrado pelo administrador Kenneth Correa e ele conversará com o público sobre marketing.  A live começa às 14h, no Instagram do CFA.

Ana Graciele Gonçalves

Assessoria de Comunicação CFA