Cases de lideranças femininas encerram o III Fórum das Mulheres ADMs

Cases de lideranças femininas encerram o III Fórum das Mulheres ADMs

Depois de dois dias discutindo a importância da mulher na ciência e na inovação, chegou a hora de falar sobre o papel feminino na política e na indústria no III Fórum das Mulheres da Administração. Para tratar do tema, foram convidadas a líder da Cerbras, Ana Lúcia Bastos Mota, e a secretária de Relações Federativas e Internacionais, do Rio Grande do Sul e, em Brasília, Ana Amélia Lemos. O evento é uma realização da Comissão Especial ADM Mulher do Conselho Federal de Administração (CFA).

A abertura foi feita pelo presidente da autarquia, Mauro Kreuz, e, em breves palavras, parabenizou a equipe organizadora do Fórum, além de destacar a importância em debater questões femininas, principalmente em tempos de pandemia. “Sinto-me absolutamente muito orgulhoso. Como presidente, estou envaidecido por poder estar aqui hoje com vocês e ter a oportunidade de cumprimentá-las por este evento que, certamente, colocará cada vez mais a sociedade brasileira em sintonia com este momento que vivemos, que é de valorização, ascensão e reconhecimento das mulheres, em especial as administradoras”, discursou.

Em seguida, a vice-presidente do Conselho Regional de Administração do Ceará (CRA-CE), Rita Maria Silveira da Silva, apresentou a primeira convidada da noite, Ana Lúcia Bastos. Ambas trocaram ideias sobre a mulher na indústria. Em um bate-papo descontraído, a dona da Cerbras deu um show de simpatia. Questionada se teve dificuldade em assumir a direção da empresa após a morte do marido, a empresária disse que não. Contudo, falou que teve medo no início. “Eu não acreditava que era capaz. Com ajuda de algumas pessoas e dos meus filhos – Ticiana, Felipe e Mariana – eu consegui superar isso”, afirmou.

Na época, o trabalho da família foi fundamental para tirar o negócio do vermelho. Outra medida adotada foi a valorização dos colaboradores: eles eram premiados e passaram a ter participação nos lucros. Alguns funcionários também tiveram apoio para fazer curso superior. “É preciso valorizar as pessoas, desde aquela que faz a faxina até o alto escalão. Você pode ter os melhores equipamentos, mas a equipe é tudo e isso faz muita diferença”, comentou.

Atualmente, a Cerbras tem muitas funcionárias na produção, inclusive operando empilhadeiras e outras funções que, tradicionalmente, eram ocupadas por homens. A empresa também tem um programa de sustentabilidade e investe na segurança das pessoas.

Na sequência, a diretora de Estudos e Projetos Estratégicos do CFA, Gracita Barbosa, entrou no evento para dar boas vindas a segunda palestrante da noite: Ana Amélia Lemos. Ela é jornalista, mas sua vida foi dedicada à política e já esteve entre os dez melhores senadores pelo prêmio Congresso em Foco em 2011, 2012 e 2013. No Fórum, ela contou um pouco da sua trajetória no parlamento brasileiro.

“Eu não levo desaforo para casa e, na política, o embate entre colegas, sejam homens e mulheres, é comum. Mas sempre ocorreu de forma respeitosa”, falou. Sobre fomentar a inclusão de mulheres no cenário político, Ana esclareceu que as eleições municipais mostraram grande avanço nesse sentido. “Isso se deve à maior conscientização e à mobilização das redes”, justificou. Contudo, ela criticou a falta de interesse em pleitear as vagas destinadas a candidatas femininas. “Não adianta ter essas cotas se as mulheres não estão dispostas a entrar na política”, ponderou.

Outra questão tocada pela secretária foi o fato de que é cada vez maior a presença de mulheres nas carreiras de estado: poder judiciário, ministério público, forças armadas, polícias civis e militares nos estados, polícia federal, rodoviária e assim por diante. Como o acesso é por meio de concurso, elas estudam e conseguem aprovação e isso garante segurança e estabilidade, questões que, segundo Ana são valorizadas pelas profissionais. “Já na política, tem a exposição e tem que estar disposta a ter essa visibilidade. Sem contar que, para chegar lá, é preciso ganhar votos. Ainda tem um caminho longo para ampliar essa participação e é natural ser assim, não vejo como problema. Passo a passo a mulher brasileira vai galgando esses espaços. Já tivemos uma presidente, uma ministra da economia, então é uma questão de tempo mesmo”, explicou.

Em seguida, ela respondeu aos questionamentos das participantes. Boa parte dos comentários eram elogios não só a ela, mas também a sua antecessora no Fórum, Ana Lúcia. Para fechar o evento, a diretora de Formação Profissional no CFA e coordenadora da Comissão ADM Mulher, Cláudia Stadtlober, fez uso da palavra. “Quero registrar a minha gratidão. Foram três dias sensacionais e hoje encerramos com chave de ouro com as nossas ‘Anas’. Estou emocionada em estar com essas colegas maravilhosas”, agradeceu a conselheira.

O III Fórum das Mulheres da Administração teve como objetivo, entre outras coisas, oportunizar conhecimentos relacionados às áreas de atividade da profissional de Administração e contribuir para a ampliação da atuação dessas mulheres no mercado de trabalho. Quase duas mil pessoas visualizaram o evento.

Para conferir a íntegra do terceiro e último dia do Fórum, clique aqui. As palestras dos dias anteriores também estão disponíveis no www.cfaplay.org.br.

Ana Graciele Gonçalves

Assessoria de Comunicação CFA