Intervenção no estado durou um ano e dois meses 

Intervenção no estado durou um ano e dois meses 

Reunida em Brasília na sede do Conselho Federal de Administração (CFA), a equipe que compõe a Junta Interventora do Conselho Regional de Administração do Pará (CRA-PA) encerrou oficialmente nesta quarta-feira (7) os trabalhos. Os conselheiros federais Amilcar Pacheco, Rogério Cristino e Marcos Kalebbe Costa fecharam relatórios, prestação de contas e o resultado desta finalização será entregue em mãos para o presidente do CFA, Mauro Kreuz, idealizador da intervenção, também aprovada pelo plenário do CFA.  

Os interventores assumiram o comando do regional em 28 de janeiro de 2019, depois que o federal constatou irregularidades no CRA. O trabalho durou até o dia 25 de março deste ano, quando a nova Diretoria Executiva do regional foi empossada para cumprir o mandato até o dia 31 de dezembro de 2020. 

“Esse fato hoje se traduz num momento muito importante. As eleições foram realizadas em fevereiro. Nós pudemos dar essa posse e permitir que o andamento normal do CRA-PA começasse a acontecer. E o fato que nos deixa extremamente felizes hoje é que todos  os  relatórios, análises de conta e prestações, aprovadas pela auditoria do CFA, estão prontas e, assim, poderão ser apresentadas na próxima plenária para os 27 conselheiros federais, representantes de todos os estados do Brasil”, afirmou o presidente interventor, Amilcar Pacheco. 

Todo o trabalho da junta está registrado no Sistema Eletrônico de Informações (SEI), utilizado pelo Sistema CFA/CRAs. A equipe também implantou no estado uma outra ferramenta que vai contribuir com a clareza da administração: o Portal da Transparência. “Até a nossa saída, nós tivemos a oportunidade de incluir todos os relatórios, os documentos, tudo o que se faz necessário para uma perfeita gestão. Estamos complementando isso agora, enviando ao Pará para ser colocado também no Portal da Transparência, todos os demais relatórios que foram realizados durante a atuação da Junta Interventora”, complementou Amilcar.    

O administrador Marcos Kalebbe lembrou que a posse foi realizada por uma videoconferência, em detrimento da pandemia da Covid-19. Por todo o contexto enfrentado pelo Brasil e pelo mundo à época, a junta ficou impossibilitada de fazer reuniões presenciais e realizar a transição como, a princípio, havia sido planejado. “Infelizmente, não foi possível dar posse aos novos conselheiros e diretoria de forma presencial, bem como as questões relacionadas à transição.  Nós deixamos de estar lá presencialmente e passamos a acompanhar todos os trabalhos de forma remota. Mas na primeira oportunidade que tivemos, com pandemia estando um pouco amenizada, a junta interventora aproveitou a oportunidade para finalizar essa parte administrativa e burocrática e apresentar ao plenário tudo o que foi desenvolvido enquanto estivemos à frente do CRA”, disse. 

Os membros da junta se reuniram com o presidente do CRA-PA, Fábio Lúcio, e com alguns diretores para passar os principais problemas encontrados, o que havia sido implementado no regional e “com isso, demos encaminhamento no que eles deveriam seguir adiante, a partir do que foram as decisões tomadas pela Junta Interventora naquelas oportunidades. Passamos questões financeiras, aquelas relacionadas à nova sede do conselho, questões eleitorais e outros assuntos também”, explicou Kalebbe.   

Triste realidade

O administrador e diretor da Câmara de Administração e Finanças do CFA (CAF), Rogério Cristino, lembrou de como foi a chegada ao estado, assim que a junta começou a sua atuação. “Foi triste ver aquela realidade da sede antiga.” De acordo com ele, o trabalho só foi possível por conta do apoio do presidente Mauro Kreuz. “Nós conseguimos uma nova sede, em uma área nobre e funcionando com toda a infraestrutura necessária, dada pelo federal. Eu, como diretor financeiro administrativo, e com a solicitação do nosso presidente interventor Amilcar, nós demos todas as condições para que se implantasse uma nova sede. Nós queremos agradecer aos colaboradores do Sistema e também o grande apoio que nós tivemos lá dos empregados do Pará. “Nas primeiras reuniões, nós sentimos a emoção de todos eles, a apreensão também. Mas com um trabalho competente de gestão, deu tudo certo. Foi um ano de trabalho praticamente e, graças a Deus, tudo correu em paz”, finalizou. 

O presidente interventor endossou. “A inauguração da sede foi um marco extremamente importante, no qual o CFA permitiu e forneceu condições, inclusive técnicas e financeiras, para que se pudesse realizar. Gostaria de deixar aqui o meu agradecimento especial a uma pessoa que esteve sempre junto conosco, o contador Marcelo Augusto Coutinho.” 

 

Agradecimentos 

Para que a empreitada fosse concluída com sucesso, o trabalho em conjunto foi necessário. Nas palavras de Amilcar, é preciso “ressaltar a importância e o tamanho da maior força tarefa   já constituída no Conselho Federal de Administração para atuação em um regional”. Ao todo, 23 colabores do CFA se revezaram no Pará, dando apoio para reestruturação do conselho. “A luta incansável e o apoio irrestrito do presidente Mauro Kreuz que nos permitiram um trabalho tranquilo, com respaldo técnico e perfeitamente possível, graças ao CFA e seus colaboradores”, enfatizou o presidente interventor.

Para a junta, os colaboradores do CRA-PA foram fundamentais. Entre eles, a equipe agradeceu a Aquilino Reis; Vanja Silva; Elisângela Silva; Rita Gonçalves; Nilze Klen; Doralice Carneiro; Nauto Enderson; José Ricardo Leal; Rafaela da Silva e Bernardo Afonso. “É importante que se saliente a ajuda e o apoio que nós tivemos por parte dos colaboradores do Pará. Eles se engajaram nessa luta e nos ajudaram a obtermos o sucesso que tivemos”, registrou Amilcar. 

Ele também manifestou sua gratidão pelo companheirismo e ajuda dos conselheiros federais e membros da junta, administradores Marcos Kalebbe e Rogério Cristino; aos auditores Marcelo Coutinho, pelo “trabalho incansável” no levantamento e apoio à Junta Interventora, e ao auditor Daniel Mendes, que contribuiu com informações necessárias a serem enviadas ao Tribunal de Contas da União.  

Os agradecimentos também foram estendidos ao então conselheiro federal pelo Pará, Mauro Leônidas, atualmente licenciado. “Ele foi muito importante, facilitando-nos o acesso à sociedade, aos órgãos públicos, às empresas e às instituições de ensino”, conta. 

Com a licença de Leônidas, a vaga está representada pela conselheira federal, baseada em Santarém, interior do estado, Maria Buchalle, que também foi mencionada por Amilcar. “Foi de  fundamental importância e manteve a Administração viva no interior do Pará, em Santarém e demais regiões, no sentido de sempre ter lutado contra o status quo anterior, mantendo os administradores atendidos com a Associação dos Administradores do Oeste do Pará”

Já no âmbito do CFA, a junta registrou especial agradecimento à assessoria jurídica (ASJ) da autarquia, na pessoa do assessor jurídico e advogado, Marcelo Dionísio; à Câmara de Comunicação e Marketing (CCM), por meio do diretor Diego da Costa; e ao ex-superintendente  e ex-colaborador do CFA, Luciano Faria.

Assessoria de Comunicação CFA