Empresas estão adotando o trabalho remoto para não expor funcionários 

Empresas estão adotando o trabalho remoto para não expor funcionários 

O vírus que vem amedrontando o mundo todo surgiu na cidade de Wuhan, na China e chegou ao Brasil no fim de fevereiro. Com isso, uma série de medidas começaram a ser tomadas para assegurar a saúde dos brasileiros. Entre elas, o teletrabalho. 

Segundo especialistas, algumas técnicas são necessárias para que o home office funcione: organizar a parte operacional da casa; preparar-se e ter disciplina; manter o planejamento; ter flexibilidade; e manter a comunicação o tempo todo. 

A modalidade já era uma forte tendência das empresas e organizações, mas foi acentuada com o registro do primeiro caso do vírus no país. Em entrevista ao CFAPlay, a  auditora federal de Finanças e Controle da Controladoria Geral da União (CGU), Priscila Escórcio de França Diniz, explicou como implantar um projeto desse. 

Ela é gerente do Escritório de Projetos, responsável pela gestão do programa que foi um dos vencedores do Concurso Inovação da Escola Nacional de Administração Pública (Enap), em 2019. Além de resultados robustos no aumento da produtividade dos servidores – ganho de mais de 68 mil horas de produção -, a CGU alcançou uma economia de mais de R$ 8 milhões. 

O exemplo bem sucedido da CGU evidencia que a prática cabe tanto no setor privado, que já a adota há mais tempo, quanto no setor público. “Existem três critérios que precisam ser cumpridos: a existência do resultado – preciso ter um produto que eu quero, resultado efetivamente mensurável, como diz o decreto; preciso ter o interesse da administração e o interesse do próprio servidor em executar”, afirmou. 

Assista à entrevista completa

Assessoria de Comunicação CFA