De olho no mercado, IES podem adotar conteúdos de certificação

De olho no mercado, IES podem adotar conteúdos de certificação

IES almejam implantar em seus cursos os conteúdos cobrados nas provas de certificação do CFA/FGV

Cientes da necessidade de maior profissionalização, preparo e inserção de administradores no mercado de trabalho, Instituições de Ensino Superior (IES), de todo o País, têm aderido ao Programa de Certificação Profissional, do Sistema CFA/CRAs. Nesta sexta-feira (6), o coordenador do ‘Comitê de Certificação Profissional’ do CFA, conselheiro Mauro Leonidas, esteve no centro universitário Fibra, em Belém-PA.

De acordo com Leonidas, que esteve ontem (5) nas faculdades Estácio e Escola Superior Madre Celeste (Esmac) — ambas na região metropolitana da capital paraense —, as IES têm demonstrado interesse para que seus alunos façam a prova de Certificação do CFA/ FGV. A primeira instituição a firmar acordo de cooperação técnica para implantar em seus cursos os conteúdos que caem na prova de certificação foi o grupo ‘Ser Educacional’, presentes em diversos estados e no Distrito Federal.

O programa de certificação foi criado com objetivo de aferir os conhecimentos dos administradores e oferecer um modo, formal, de comprovação das expertises. As provas são criadas e aplicadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

“Por funcionar como um selo de qualidade profissional, as empresas terão a certeza de que estão contratando uma pessoa que estudou e preparou-se para ser testado em uma avaliação rigorosa e completa”, diz Leonidas.

O certificado foi criado com objetivo de oferecer aos registrados do Sistema a comprovação de que dominam conhecimentos nas áreas de seleção de pessoal (recursos humanos), ‘administração de materiais – Logística’ e administração financeira. Também inclui avaliações nos segmentos de administração de vendas, administração de produção, ‘organização, métodos, informações e sistemas’ (OMSI), bem como gestão da saúde e gestão pública.

Benefícios

Além de oferecer mais segurança às empresas contratantes de um profissional avaliado, o selo de qualidade também facilita e reduz os custos dos processos de recrutamento e seleção. O conhecimento comprovado ainda permite otimizar o tempo de amadurecimento profissional e melhorar os resultados das empresas.

Para o reitor da Fibra, Vicente Noronha, a certificação representa iniciativa para melhorar o nível das habilidades dos administradores brasileiros. “Sem dúvida, é uma ação louvável e importante para melhorar a qualidade técnica e de capacitação no país. Queremos incluir os conteúdos requeridos na prova de certificação em nossos cursos de pós-graduação”, disse.

Segundo dados do Sistema Nacional de Emprego (Sine), apenas 37% das vagas oferecidas na instituição, em 2019, foram preenchidas. Embora hajam postos de trabalho no mercado, de acordo com a instituição não há mão de obra qualificada para preencher as vagas.

Fonte: Assessoria de Comunicação – CFA