Coworking: uma nova forma de pensar o ambiente de trabalho

Coworking: uma nova forma de pensar o ambiente de trabalho

O custo operacional de uma empresa no Brasil é caro, e por conta disso muitas instituições fecham as portas com menos de dois anos de funcionamento/existência. Em meio a tantos gastos, a vontade de empreender e a necessidade de um local de trabalho que agregue as vantagens de um escritório pode ser uma alternativa saudável para o negócio. A opção tem nome: coworking, e significa espaços compartilhados. 

“Um lugar onde as empresas têm os seus espaços reservados e colaborativos, mas não existe uma secretária fixa, banheiro dentro da sua sala ou espaço de reunião restrito somente ao empresário. Você tem, ali, o seu espaço um pouco mais restrito, onde você exerce a função e o objeto principal da sua empresa. E, tem espaços onde você vive de forma compartilhada, com outras empresas, inclusive de outros ramos”, disse o especialista em economia colaborativa, Flávio Freitas. 

O segmento tem dado o que falar, como mostra a pesquisa realizada pelo Censo Coworking Brasil. Segundo a análise, “com crise ou sem crise, o ano de 2019 apresentou uma evolução considerável no mercado de coworking em relação aos anos anteriores”. 

“Com crescimento de 25% em relação ao ano anterior, começamos a ver novas instituições entrando no segmento, e cada vez mais empresas tentando otimizar espaços ociosos. No ano em que gigantes do mercado internacional tiveram alguns tropeços, por aqui nada de anormal. Em época de ascensão, o segmento chegou a 195 municípios brasileiros”, revelou. 

Vantagens 

Os locais de trabalhos compartilhados podem ser salas privativas, estação de trabalho fixa ou rotativa, ambiente para reunião, e espaços de uso comum como cozinha, banheiro e área de lazer. Além disso, o coworking precisa oferecer móveis, estrutura física de trabalho, internet, telefone e endereço fiscal. 

Para o administrador e empresário, Rodrigo Amorim, a tendência do setor está nos benefícios que os escritórios compartilhados trazem ao mercado de trabalho, principalmente, no que tange ao networking e ao rendimento pessoal e profissional. 

“Além da vantagem financeira, no coworking, você tem duas questões que são muito importantes. Uma é a questão do network. Você está em um lugar com pessoas que estão motivadas, que estão trabalhando, via de regra, com uma startup ou com uma empresa que propõe mudar o mundo. Isso gera um clima, isso gera uma sinergia que faz muita diferença. E a outra questão é do clima organizacional de uma maneira geral. No coworking você consegue receber um cliente em um ambiente extremamente sofisticado e com muita descontração”, acrescentou. 

Então, caro leitor, a dica é simples. Espaços como os de coworking têm se tornado tendência nos últimos anos e, em 2020, não será diferente, já que os espaços agregam praticidade, socialização e comodidade. 

Agora, se você ficou interessado em montar o seu próprio coworking, clique aqui, e saiba como o Sebrae pode te auxiliar no plano de negócio, planejamento financeiro e muito mais!

Assessoria de Comunicação CFA