Pandemia da Covid-19 faz o CFA e CRAs adotarem medidas para manter receitas

Pandemia da Covid-19 faz o CFA e CRAs adotarem medidas para manter receitas

A pandemia do novo coronavírus também trouxe muitas mudanças para o Sistema Conselhos Federal e Regionais de Administração (CFA/CRAs). O que fazer diante dessa realidade sem prejudicar os serviços que são oferecidos para os profissionais de administração foi o assunto da live que o CFA realizou nesta quinta-feira, 23. No evento, o jornalista Paulo Melo bateu um papo muito franco com o diretor de Administração e Finanças da autarquia, Francisco Rogério Cristino.

Ele começou a conversa esclarecendo uma das principais dúvidas do público: de onde vem a renda do Sistema CFA/CRAs. Cristino ressaltou que, segundo a Lei 4.769/1965, que regulamenta a profissão de Administrador, os recursos são oriundos do pagamento das anuidades. “Todas as profissões regulamentadas fazem essa cobrança”, lembrou o administrador.

Quem paga a anuidade são os profissionais de administração e as pessoas jurídicas registradas nos CRAs. Os regionais, por sua vez, repassam 20% dessa arrecadação para o CFA. “O orçamento do CFA vem da cota parte”, enfatizou Cristino. Ele comentou que, no início de fevereiro, a autarquia fez um levantamento das receitas e despesas. Na época, a diretoria do CFA decidiu reduzir 20% dos custos.

Essa atitude austera começou antes da crise. Mas, com a chegada da pandemia na vida dos brasileiros, Cristino explica que “a preocupação aumentou não só com relação ao Sistema CFA/CRAs, mas com os empresários, profissionais e sociedade em geral”. Nesse novo cenário, o diretor citou as ações que o CFA adotou para se adaptar à nova realidade.

As primeiras medidas foram o adiamento de todos os eventos que estavam previstos para acontecer no primeiro semestre de 2020. O Fórum de Gestão Pública e os Encontros Regionais de Administração estão nessa lista. As reuniões plenárias, que acontecem no CFA, em Brasília, também foram canceladas.

Em seguida, o CFA liberou os colaboradores para o home office e concedeu férias para seu corpo de recursos humanos. Com as reuniões on line, os custos com diárias e passagem caíram.

Com relação à anuidade, o CFA prorrogou o prazo para o pagamento da contribuição. Agora, os profissionais terão até o dia 30 de junho para pagar a taxa. Questionado sobre a possibilidade de diminuir o valor da anuidade, Cristino disse: “não há essa chance, pois a anuidade do Sistema CFA/CRAs é uma das menores entre os conselhos profissionais”, explicou, citando valores de conselhos como a OAB e e de Medicina.

Em razão da crise, Cristino acredita que a receita de 2020 terá uma queda em torno de 35% a 40%. “Mas não vamos deixar de continuar oferecendo os serviços para os profissionais de administração”, ressaltou. Ele lembrou, ainda, que os recursos que o CFA recebe são investidos em ações de fiscalização, eventos e congressos e na comunicação da autarquia.

A live estará disponível no Instagram do CFA (@cfaadm) por 24 horas.

 

Ana Graciele Gonçalves

Assessoria de Comunicação CFA