O embate dos planos de saúde, por Wagner Siqueira

O embate dos planos de saúde, por Wagner Siqueira

Um dos assuntos mais discutidos ultimamente é a questão dos planos de saúdes. Diante da falta de assistência pública eficiente na área da saúde, os brasileiros se previnem buscando uma alternativa particular. O problema é que com o desemprego elevado e fortes aumentos no valor das mensalidades os convênios médicos tornam-se inacessíveis para um número cada vez maior de pessoas, de acordo com dados do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS). Nos últimos 12 meses, mais de 66 mil pessoas abandonaram planos de saúde.

Sobre isso, o presidente do CFA, Wagner Siqueira, escreveu o artigo “Planos de Saúde com Carência de Gestão”, publicado hoje no Jornal O Dia. Nele, o administrador faz uma análise do cenário atual e afirma que é preocupante, além do fato de o governo brasileiro não sinalizar com nenhuma solução que possa tranquilizar os orçamentos das famílias brasileiras que buscam proteção nessa modalidade de assistência médico-hospitalar.

“Sem proteção contra os aumentos abusivos, os usuários sofrem duramente a cada reajuste. Se têm a sorte de não passar por uma enfermidade, não escapam da facada sem apelo dos planos de saúde. A inação dos órgãos oficiais permite esse tipo de conflito, onde quem sempre sai perdendo é o cidadão brasileiro, especialmente os assalariados e aposentados que têm recursos financeiros finitos”, escreve.

E completa: “A falta de uma gestão comprometida com o atendimento ao cliente e com o controle de gastos e a ausência de uma regulação mínima que proteja a renda dos assalariados, torna “justificável” qualquer tipo de aumento, sob o pretexto da sinistralidade crescente e das novas tecnologias sempre incorporadas.”

Leia o artigo na íntegra clicando aqui.

 

 

Fechar Menu